Repositório Institucional UNICID Campus Tatuapé Dissertações Mestrado em Fisioterapia
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.cruzeirodosul.edu.br/jspui/handle/123456789/5232
Tipo: Dissertação
Título: Acurácia diagnóstica da Regra Canadense da Coluna Cervical e do Estudo Nacional da Utilização de Radiografia na Emergência (NEXUS) para detectar lesões cervicais clinicamente importantes seguidas de trauma brusco: uma revisão sistemática Cochrane
Autor(es): Nitzsche, Renato
Primeiro Orientador: Saragiotto, Bruno Tirotti
Resumo: Introdução: Os traumas cervicais podem gerar lesões clinicamente importantes como fraturas, luxações e instabilidade ligamentar e representam aproximadamente 3,5% dos traumas ocorridos em departamentos de emergência ao redor do mundo. A prevalência dessas lesões em traumas graves é baixa: 2,3% apresentam fraturas ou deslocamento e 0,8% lesões medulares associadas ou não às fraturas e/ou deslocamentos. As lesões cervicais podem gerar consequências severas como lesão medular e morte. Por isso o diagnóstico deve ser precoce, e costuma ser feito por exames de imagem como a radiografia, ressonância nuclear magnética e tomografia computadorizada. A tomografia computadorizada é o exame inicial mais usado em pacientes politraumatizados ou com alta suspeita de lesão. Mesmo com baixa prevalência de lesões esses exames são realizados entre 60% a 90% dos pacientes em estado de alerta (Glasgow = 15) e estáveis. Como resultado, os exames de imagem geram um alto custo, maior permanência dos pacientes no hospital e exposição à radiação na pele sobre a tireoide. As regras de decisão clínica podem ajudar a descartar lesões graves sem a realização dos exames de imagem. A “Regra Canadense da coluna cervical” (utilizarei o termo “Regra Canadense” no resto do texto) e “Estudo nacional de utilização de raio-x na emergência” (NEXUS) são as regras de decisão clínica mais utilizadas após um trauma cervical brusco. Uma revisão sistemática de 2012 comparou a acurácia diagnóstica dessas duas regras clínicas, mas como novas pesquisas foram realizadas após essa data, uma atualização desse tema se faz importante. Objetivos: Descrever e comparar a acurácia diagnóstica entre a Regra Canadense e o NEXUS em pacientes com suspeita de lesão cervical seguida de trauma brusco. Métodos: A busca dos artigos foi feita por dois autores nas bases de dados MEDLINE, EMBASE, CINAHL e LILACS. Os estudos incluídos deveriam possuir as seguintes características: ter população de adultos com suspeita de lesão cervical após trauma brusco, possuir análise da acurácia diagnóstica com a Regra Canadense, NEXUS ou ambas as regras, serem comparadas com um exame padrão de referência, e terem um delineamento do tipo coorte prospectivo, transversal ou ensaios clínicos. Para análise da qualidade metodológica dos estudos usamos a versão modificada da “quality assessment of diagnostic accuracy studies criteria” (QUADAS-2). Os dados de cada estudo foram utilizados para gerar a tabela de contingência e saber os verdadeiros positivos, verdadeiros negativos, falso positivos e falso negativos, e para calcular a sensibilidade, especificidade, valor preditivo positivo, valor preditivo negativo, razão de verossimilhança positiva, razão de verossimilhança negativa, e o intervalo de confiança de 95% de cada teste. Para estimar o resumo da sensibilidade e especificidade foi conduzida uma meta-análise usando o modelo de regressão logística bivariada. A análise foi feita usando os aplicativos MetaDTA e o review manager. Resultados: Dos 1090 artigos encontrados, 18 foram incluídos sendo 17 com delineamento de coorte prospectivo e 1 ensaio clínico randomizado. O total de participantes foi de 73.774. A análise da qualidade metodológica no quesito “risco de viés” três estudos foram considerados de baixo risco pois não apresentaram nenhum domínio com alto risco, e seis estudos foram considerados de alto risco pois apresentaram todos os domínios variando entre alto risco e risco incerto. No quesito “questões de aplicabilidade” 13 estudos foram considerados com baixo risco por apresentarem todos os domínios com baixo risco. A Regra Canadense apresentou maior estimativa de sensibilidade (valor de 1,00) do que o NEXUS (valor de 0,908). O NEXUS apresentou maior estimativa de especificidade (valor de 0,367) do que a Regra Canadense (valor de 0,219). A meta análise demostrou grande heterogeneidade entre os estudos da Regra Canadense e menor certeza com relação às suas estimativas, o que não ocorreu nos estudos da regra NEXUS. Conclusão: A Regra canadense possui mais incertezas dos seus possíveis resultados, porém apresentou valores excelentes das estimativas das variáveis diagnósticas. O NEXUS apresentou mais certezas com relação aos seus resultados, porém as variáveis diagnósticas apenas dentro do aceitável. Portanto, a Regra Canadense parece ter mais acurácia em descartar lesões cervicais em pacientes que sofreram trauma brusco. É sugerido que mais estudos diagnósticos comparativos sejam realizados nas diferentes condições ou doenças para nortear os clínicos em relação ao que realmente vale a pena ser avaliado nos pacientes.
Abstract: Background: Cervical spine trauma can lead to clinically important injuries such as fractures, dislocations, and ligament instability. It represents approximately 3.5% of trauma occurring in emergency departments worldwide. Cervical injuries can have severe consequences such as spinal cord injury and death. For this reason, the diagnosis must be made early. The diagnosis is usually made by imaging exams such as radiography, nuclear magnetic resonance, and computed tomography. The latter is the most used on initial examination in polytrauma patients or those with a high suspicion of injury. Even with a low prevalence of injuries, these tests are performed between 60% to 90% of stable patients in an alert state (Glasgow = 15). In addition, they generate high costs and sometimes unnecessary radiation exposure. Clinical decision rules can help clinicians to rule out serious injuries without imaging. The “Canadian cervical spine rule” (CCR) and “The National Emergence X-Radiography utilization study” (NEXUS) are the most used clinical decision rules after blunt cervical trauma. Objectives: The aim of this systematic review is to describe and compare the diagnostic accuracy between CCR and NEXUS in patients with suspected cervical injury followed by sudden trauma. Methods: We searched on MEDLINE, EMBASE, CINAHL and LILACS. The criteria for considering studies in this review were: being a prospective cohort or cross-sectional study; having a population of adults with suspected cervical injury after sudden trauma; having an analysis of diagnostic accuracy with CCR, NEXUS, or both rules; the rules be compared with a standard exam of reference. We used the modified version of the QUADAS-2 tool to analyze the methodological quality of the studies. The data from each study was used to generate the contingency table and the true positives, true negatives, false positives, and false negatives, and to calculate the sensitivity, specificity and 95% confidence interval of each test. To estimate the summary of sensitivity and specificity, we performed a meta-analysis using the bivariate logistics model. The analysis were made using MetaDTA and Review Manager apps. Results: We found 1090 articles of which 18 were included in this review. Seventeen studies were prospective cohort, and one was randomized clinical trial. We analyzed a total of 73.774 participants. In the “risk of bias” item of methodological quality analysis, we found three studies classified as low risk because they did not present any domain with high risk, and six studies with high risk because they presented all domains ranging from high risk to uncertain risk. In the “applicability concerns” item of methodological quality analysis, we found 13 studies classified as low risk because they presented all domains with low risk. The Canadian Rule had a higher sensitivity estimate (1.00) than NEXUS (0.908). The NEXUS had a higher estimate of specificity (0.367) than the Canadian Rule (0.219). The meta-analysis showed great heterogeneity among the Canadian Rule studies and less certainty regarding the value of their estimates, which did not occur in the NEXUS rule studies. Conclusion: The Canadian rule has more uncertainties in the validation of its results, but it presents excellent estimates of the diagnostic variables. The NEXUS criteria presented more certainties regarding its results, but the diagnostic variables were only within acceptable limits. Therefore, the Canadian Rule appears to be more accurate in ruling out cervical injuries in patients who have suffered blunt trauma. It is suggested that more comparative diagnostic studies be carried out on different conditions or diseases to guide clinicians on what is worth evaluating in patients.
Palavras-chave: Regra canadense
NEXUS
Lesão da coluna cervical
Traumas cervicais
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Cruzeiro do Sul Educacional
Sigla da Instituição: UNICID
Departamento: Universidade Cidade de São Paulo
Programa: Programa de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado em Fisioterapia
Citação: NITZSCHE, Renato. Acurácia diagnóstica da Regra Canadense da Coluna Cervical e do Estudo Nacional da Utilização de Radiografia na Emergência (NEXUS) para detectar lesões cervicais clinicamente importantes seguidas de trauma brusco: uma revisão sistemática Cochrane. 2022. 156f. Dissertação (Mestrado em Fisioterapia) - Universidade Cidade de São Paulo. 2022.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.cruzeirodosul.edu.br/jspui/handle/123456789/5232
Data do documento: 9-Set-2022
Aparece nas coleções:Mestrado em Fisioterapia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Renato Nitzsche.pdfDissertação5.77 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.